Colunistas

Motociclismo e a Sociedade

Motociclistas, Dificultem o roubo de sua motocicleta


14/11/2017 15h06

O roubo de motocicletas no Brasil assumiu proporções gigantescas, ao ponto de determinados tipos de motos terem o preço de seus seguros, por vezes mais caros do que de alguns automóveis de luxo.

As razões para os ditos roubos não são muitos. Existem os roubos de motocicletas para executarem assaltos, quando são levadas motos leves, e velozes para facilitar as fugas. Há os roubos que são apenas para levar as motocicletas paras as favelas, para que os líderes das comunidades tirem uma onda dentro da própria favela, essas são as motos boas para trilhas e “off roads”, que andam em qualquer terreno, pois os caminhos dentro das favelas são muito irregulares. E há finalmente o roubo que é para o desmanche, e futura venda das peças, no mercado negro, peças essas que acabam sendo compradas inclusive, por motociclistas que já tiveram suas motos também roubadas.

Há alguns anos atrás esses roubos, só eram cometidos contra motos pequenas, e de preço baixo, pois as pessoas que só tinham possibilidade financeira de adquirir as pequenas motos, também não tinham grandes recursos para comprarem as peças, quando se faziam necessárias para a manutenção de suas motos. Isso fez com que os amigos do alheio caíssem dentro desse nicho, pois sabiam que as peças oriundas de seus roubos tinham sempre um excelente mercado.

Com o passar do tempo e o crescimento do mercado motociclistico brasileiro, ficou mais fácil para uma parcela maior da população adquirir motos maiores e mais caras, em virtude dos longos financiamentos e taxas de juros mais baixas. Por um lado isso foi muito bom, entretanto, trouxe um efeito colateral, no meu modo de ver perigoso, e que vem prejudicando a todos nós motociclistas. O que eu quero dizer é que, os roubos de motocicletas pesadas, e caras estão em fase de surgimento. Já há notícias de roubos desses tipos de motocicletas. Ainda outro dia saiu nos jornais e na internet, o desmantelamento de uma quadrilha especializada em roubar motos Harley Davidson, com o intuito de desmontá-las para customização, e as peças excedentes serem vendidas para proprietários de Harleys.

O fato é que com a facilidade da aquisição citada acima, muitas pessoas estão adquirindo aquelas motos, porém esquecendo que a manutenção das mesmas é muito onerosa, e aí, quando vem o acidente ou manutenções, essas pessoas não possuem o numerário suficiente para comprar as peças originais e acabam as adquirindo no mercado negro, e aí se inicia o ciclo similar ao mercado de peças roubadas de motocicletas pequenas, já enraizado na sociedade brasileira. E com isso prejudicam os motociclistas que possuem o mesmo tipo de moto, que passam a serem também alvos dos ladrões, além dos seguros contra roubos que vão subindo de preço.

Quando falo em motocicletas caras e pesadas não estou me referindo somente as Harleys, mas todas as outras marcas que também possuem modelos que há pouco tempo não despertavam o interesse dos ladrões, por não servirem para fuga, não andarem bem em pisos irregulares, e não possuírem mercado de peças roubadas, mas agora por culpa de alguns motociclistas que compram as motos aproveitando as facilidades oferecidas pelas revendas, mas se esquecem que essa máquinas precisam de manutenção e quando caem e quebram peças e acessórios, não custa barato, esse mercado já entrou em processo de criação.

Eu mesmo tenho visto em alguns pontos de motociclistas, proprietários de motos caras e pesadas perguntando se tem alguém que venda peças mais baratas, pois na revenda está muito cara. E eu fico muito triste e preocupado com isso.

Senhores motociclistas, conforme citei anteriormente, este mercado ainda está em fase de surgimento, assim sendo, existe tempo e possibilidade de não deixarmos o mesmo se estabelecer. Por isso não compremos de maneira alguma peças de origem desconhecida. Paguemos mais caro, mas preservemos nossa integridade física e de nossas motos, pois em diversos roubos a violência está presente, inclusive com mortes. Façam um pouco de sacrifício e só comprem peças originais e com procedência.

Não esqueçam que uma das maiores características do motociclismo é a solidariedade. E não comprando peças roubadas, estamos nos preocupando conosco, mas também com todos os nossos irmãos motociclistas, e isso não deixa de ser um exemplo de solidariedade.

Sonivaldo Vieira Leite
15 textos publicados

67 anos, Casado, Pai de 5 filhos, Engenheiro de Vôo Aposentado, trabalhou na Varig por 39 anos, Motociclista desde 1.972 ininterruptamente. Atualmente possue uma Fat Boy e uma Street Glide ambas 2015 e integrante do Moto Clube Águias de Ouro

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.29563 segundos