Colunistas

Motociclismo e Segurança

Ultrapassagens, fazer ou não fazer?


19/10/2016 22h50

A matriz de transporte de cargas e produtos no Brasil é o modal rodoviário, isto quer dizer que 56% de todas as cargas movimentadas em nosso país são feitas através de rodovias. Esse é o motivo pelo qual nossas estradas estão sempre apinhadas de caminhões, sem contar os ônibus interestaduais e veículos particulares que também circulam pelos mesmos caminhos.

Por esse motivo nossas viagens de médias ou longas distâncias, são sempre mais demoradas do que deveriam ser, pois é muito comum encontrarmos por diversas vezes em nossos caminhos longas filas de caminhões, o que atrapalha bastante o desenvolvimento das viagens, pois não é muito simples executarmos com segurança as centenas de ultrapassagens que fazemos nas longas viagens que estamos sempre fazendo, em especial nas estradas de mão dupla.

Sabemos também que, a maior porcentagem de acidentes rodoviários no Brasil, acontece nas ultrapassagens. Pois sem sombra de dúvidas, os momentos mais cruciais de qualquer viagem são as ultrapassagens, e temos que vez por outra, fazê-las.

Fazer ultrapassagens segura exige uma sequência de conhecimentos, calma, capacidade de julgamento, dentre outros itens também importantes para o êxito dessas manobras.

Conhecimento de seu veículo, da força e torque do motor que temos entre as pernas.

A calma e paciência necessária para executar a ultrapassagem programada.

Julgamento correto da distância que temos disponível para executar a ultrapassagem com segurança.

Além de executarmos as ultrapassagens somente nos trechos permitidos na rodovia.

Como todos já sabem, sou um estradeiro compulsivo, e nas minhas viagens tenho visto tantos motociclistas, ditos experientes, executando a manobra da ultrapassagem de maneira insegura, por que não dizer, perigosa.

É comum ver o motociclista colado na traseira do caminhão ou ônibus, e ficar colocando a cabeça para fora para observar o que está à frente em sentido contrário. Essa não é uma boa prática, pois estando muito colado no veículo à frente ficamos suscetíveis de em uma guinada qualquer que o veículo faça levarmos uma carroceria pela cara, além do que, conforme eu já assisti pessoalmente, o pneu de um caminhão dechapar e aquela borracha enorme da banda de rodagem vir voando sem direção definida e bater no motociclista colado, e derrubá-lo.

A melhor prática, no meu modo de ver é manter uma distância de mais ou menos uns 50 metros do veículo à frente, pois a visibilidade no sentido contrário fica bem melhor, sem os riscos apontados acima.

Vejo também muitos motociclistas, ultrapassando em curvas cegas. Isso é muito perigoso. Pois podemos encontrar na saída da curva outro veículo parado, ou mesmo um animal cruzando a rodovia. Existem curvas de grande raio, com visibilidade da saída da mesma que permitem ultrapassagens bem seguras.

Decidida a ultrapassagem, depois de todos os julgamentos, mande sempre uma marcha, ou quem sabe até duas para baixo, acelere enchendo bem o motor, para que sua ultrapassagem seja a mais rápida possível.

Hoje em dia os caminhões e as carretas andam muito, por isso, prefira fazer ultrapassagens no plano ou nas subidas, se possível, pois nas descidas os caminhões aceleram mais do que nós em função do peso e da inércia, isso faz com que a ultrapassagem fique mais demorada.

Nos dias de chuva forte, as vezes é melhor fazer por algum tempo a viagem atrás dos caminhões, logicamente mantendo uma distância segura, pois o spray que eles jogam para as laterais prejudicam muito a visibilidade frontal no momento da ultrapassagem, além do que, na chuva, eles em função da altura, possuem melhor visibilidade do que nós motociclistas, além de continuarem andando forte, mesmo com o asfalto molhado, o que nos proporciona também uma média boa de velocidade, mesmo andando atrás deles. Então os usemos como escudos de proteção durante as chuvas.

Mesmo nas rodovias de mão única, devemos tomar as mesmas precauções, pois cuidado e segurança nunca são demais. É melhor prevenir do que remediar.

E somente como lembrete, as ultrapassagens muitas vezes não são necessárias, em função de o veiculo a nossa frente estar numa velocidade boa, e se o ultrapassarmos teremos que manter velocidade maior do que a anterior para que não sejamos ultrapassados por aquele veículo que acabamos de ultrapassar. Se a velocidade que estávamos anteriormente nos era confortável, porque não mantê-la? ao invés de nos arriscarmos em uma ultrapassagem.

Belas viagens, e seguras ultrapassagens amigos motociclistas.

Sonivaldo Vieira Leite
11 textos publicados

67 anos, Casado, Pai de 5 filhos, Engenheiro de Vôo Aposentado, trabalhou na Varig por 39 anos, Motociclista desde 1.972 ininterruptamente. Atualmente possue uma Fat Boy e uma Street Glide ambas 2015 e integrante do Moto Clube Águias de Ouro

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.54328 segundos