Notícias

Nova CB 1000R tem banco a 83 cm do solo Divulgação (Foto: Divulgação)

Novidade

Nova CB 1000R traz mais potência e eletrônica

Honda ousa no design e aprimora desempenho e controles eletrônicos da naked de 1.000 cc, que já é vendida na Europa


Cicero Lima / Agência Infomoto

Agência Infomoto

09/02/2018 11h16

Geralmente uma naked surge a partir de uma esportiva. O fabricante aproveita a parte ciclística, elimina as carenagens, muda a posição de pilotagem e faz alterações no motor para “amansar” a moto. No caso da Honda CB 1000R 2018, essa receita foi deixada de lado e o modelo recebeu ciclística inédita, design ousado, mais potência e muita eletrônica. Embora seu visual seja extremamente chamativo, as grandes inovações estão na parte mecânica.

Seu motor, derivado da CBR 1000RR, ganhou mudanças visando melhor desempenho na faixa entre 6.000 e 8.000 giros. Ainda que o fabricante não tenha alterado diâmetro e curso dos pistões, houve um aumento na taxa de compressão e a adoção de pistões forjados. O propulsor de 998 cm³ recebeu modificações no tempo de abertura e diâmetro das válvulas. Já o formato e dimensões da câmara de combustão também foram alterados, assim como a caixa e filtro de ar. O resultado é um ganho de 20 cv de potência – se comparado à antiga CB 1000R. O novo propulsor alcança a potência máxima de 145 cv a 10.500 giros. O torque máximo, de 10,4 kgf.m, é atingido em 8.250 rpm. Além disso, a relação de transmissão final foi reduzida em 4% aumentando a capacidade de aceleração e retomada do modelo. A Honda assegura que até 130 km/h ela é mais rápida que a própria esportiva CBR 1000RR.

Para manter o controle

Para que a experiência de domar os 145 cv da CB 1000R seja mais agradável, a moto vem equipada com acelerador Throttle-by-wire (TBW) e três modos de pilotagem com múltiplos parâmetros. O modo Rain, por exemplo, limita a potência, torna mais intrusivo o freio-motor e controle de tração. No modo Standart, os níveis de controles são mais brandos e se restringem a atuar em primeira e segunda marcha. Já o modo Sport proporciona o máximo de potência e o mínimo de interferência no freio-motor e controle de tração, permitindo, até mesmo, pequenas derrapagens da roda traseira e que a roda dianteira saia do chão em acelerações mais vigorosas. No modo User, é possível personalizar os controles ao gosto e habilidade do piloto.

Tantas novidades mecânicas e na eletrônica foram acompanhadas por ousadia no design, ciclística e ergonomia. Ao apostar em um visual musculoso, a Honda não economizou na utilização de componentes metálicos no acabamento da CB 1000R. Pouco plástico e muito aço e alumínio escovado ajudam a destacar peças como o enorme radiador do motor ou o novo escapamento. O motor pintado em preto fosco contribui para criar uma atmosfera agressiva e rebelde para essa naked, que pesa apenas 212 kg (a seco).

Porém o que dá mais vida a essa moto é o conjunto de iluminação, totalmente em LED. Seu farol apresenta na parte interna uma sequência de lâmpadas no formato de ferradura. Luzes do pisca e lanternas pequenas se contrapõem ao enorme pneu traseiro. O painel, todo digital em forma de T, está fixado logo acima do farol e a ignição fica acima do tanque de combustível, criando assim um visual agressivo e atarracado.

É de se estranhar o uso da corrente, com tanto torque no motor era de se esperar um eixo-cardã (ou correia) no sistema de transmissão final. Destoa do conjunto o uso de cabo para acionar a embreagem, um sistema hidráulico era o esperado.

A CB 1000R fez grande sucesso no Salão de Milão do ano passado e agora chega às concessionárias da Europa com o preço de 13.790 euros. Há previsão de lançamento no Brasil ainda este ano.

Notícias relacionadas

Triumph apresenta nova Speed Triple com 150 cv

Honda lança versão mais aventureira da Africa Twin

Nova Softail Slim mostra evolução da Harley

BMW divulga preço da G 310 GS

Versão da Super Ténéré sai de linha

Yamaha anuncia o fim da XT 660R

Vereador quer liberar linha com cerol para prática esportiva em BH

BMW já produz a G 310 GS no Brasil

BluSnap: um ar-condicionado para capacetes

Nova Ducati Panigale V4 tem melhor relação peso/potência entre esportivas

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.18808 segundos