Notícias

Fachada da fábrica da BMW em Manaus que atualmente produz oito modelos (Foto: Divulgação)

Noticias

BMW atinge 50 mil motos produzidas em Manaus (AM)

O Brasil é o primeiro país a receber uma fábrica da marca fora da Alemanha e relembramos a seguir todos os modelos montados aqui desde que a fabricante de Munique iniciou operação própria


Cicero Lima

Agencia Infomoto

09/11/2018 15h08

O primeiro lugar que a que a BMW fabrica motos fora da planta na Alemanha é aqui no Brasil. Mais especificamente em Manaus (AM). Na semana passada, a fabricante alemã comemorou a marca de 50 mil unidades produzidas na capital do Amazonas, um processo cujo início foi em 2009, ainda em parceria com a Dafra, e se seguiu até 2016, quando a BMW inaugurou sua fábrica própria. Conheça um pouco dessa história e alguns números surpreendentes desses quase dez anos.

A primeira moto feita pela BMW em Manaus foi a on/off G 650 GS. Em 2010, seu primeiro ano de produção, foram montadas 212 unidades dessa aventureira, que saltaram para 2.427 já no ano seguinte. O modelo, que usava motor de um cilindro de 652 cm³, tinha potência máxima de 48 cv a 6.500 rpm e torque de 6,1 kgf.m a 5000 rpm e foi fabricado até 2016, acumulando produção total de 8.553 unidades.

Outro modelo da família G, a G 650 GS Sertão, nasceu em plena floresta. Apesar de ser um lançamento mundial herdou um nome bem brasileiro, em alusão a uma das áreas mais inóspitas da nossa topografia. O modelo dedicado aos aventureiros, usava o mesmo motor da G 650 GS, nasceu em 2012 e morreu no ano seguinte com a produção de 529 unidades.

A família aumentou em 2011 com o lançamento da família F 800. O modelo aventureiro, a F 800 GS trazia motor de dois cilindros paralelos e 798 cm³ de capacidade com potência máxima de 85 cv a 7.500 rpm. Freios ABS, computador de bordo e manoplas aquecidas eram outros atrativos da bigtrail.

Além da aventureira, a naked F 800 R tinha como característica marcante o design e o desempenho do motor com seus 87 cv a 8.000 rpm e torque de 8,7 kgfm a 6.000 rpm. A capacidade de contornar curvas e a desenvoltura em mudanças bruscas de direção eram predicados que atraíram a atenção dos pilotos de perfil mais esportivo. Tanto é que teve seu design atualizado em 2015 e ainda ganhou 3 cv a mais.

A família F é um grande sucesso comprovado pelos números de produção dos modelos entre 2011 e 2018 se aproxima das 19 mil unidades. Mesmo com a descontinuidade da F 800 R, em abril do ano passado.

Chega a família R 1200

Em 2014, estrearam na linha de Manaus os modelos da família R 1200 GS, a grande best-seller da BMW. Oferecendo muito conforto, segurança e desempenho, a R 1200 GS usa motor boxer (dois cilindros opostos) com 1.170 cm³ de capacidade cúbica e potência de 125 cv a (7.700 rpm). A produção das duas versões da família R 1200 atingiu quase 12.000 unidades entre 2014 e 2018.

Já em 2015, chega a vez da esportiva família S 1000, com seu motor de quatro cilindros em linha, começar a ser feita no Brasil. O grande destaque é a superesportiva S 1000 RR, cujo propulsor de 999 cm³ pode gerar a potência máxima de 199 cv a 13.500 giros. A crossover S 1000 XR e a naked S 1000R são um pouco mais mansas, mas não menos impressionantes, chegando aos 165 cv a 11 000 giros. Foram produzidas 1.272 unidades das três motos da família S 1000 naquele ano.

Fábrica própria

Em 2016 a BMW declara investiu R$ 60 milhões em sua fábrica, que ocupa uma área de 10 mil metros quadrados. Com isso, a marca bávara encerrou sua parceria com a Dafra. Lá nasceram outros modelos, como a F 700 GS com motor de dois cilindros cuja potência máxima era de 75 cv a 7.300 rpm. O modelo acumulou pouco mais de 1.000 unidades produzidas.

No ano de 2017, contudo, sairia da planta a grande novidade da BMW para o mercado: a pequena naked esportiva G 310 R. O lançamento mundial da marca tinha a função de arrebatar corações e mentes de quem deseja ter uma BMW na sua garagem, mas ainda não conta com dinheiro ou experiência ao guidão para investir em uma moto acima das 500cc. No ano passado, essa street com motor de um cilindro e 313 cm³ estreou na fábrica com 660 unidades produzidas.

O sucesso da G 310 R fez com que sua irmã aventureira, a G 310 GS, entrasse em produção nacional logo em seguida. Utilizando visual alusivo à família trail, a moto debutou no mercado com o mesmo propulsor e os mesmos 34 cv a 9.500 giros. O modelo parece ser mais aceito pelo público brasileiro uma vez que a produção da pequena aventureira atingiu 1.760 unidades até setembro de 2018 enquanto a naked acumulou 510 unidades.

Atualmente a fábrica de Manaus produz nove modelos: F 750 GS, F 850 GS, R 1200 GS, R 1200 GS Adventure, S 1000 RR, S 1000 R, S 1000 XR, G 310 GS e G 310 R. Sendo que uma icônica R 1200 GS Adventure serviu como marco para comemorar as 50 unidades produzidas.

“A fábrica de Manaus contribuiu para a consolidação da BMW Motorrad no Brasil ao assegurar maior disponibilidade dos modelos e celeridade para atender à demanda local, sem perder de vista a qualidade dos produtos e excelências dos funcionários, afirma Peter Vogel, Diretor de Produção da fábrica do BMW Group em Manaus. Mostrando que tanto as linhas do Brasil e da Alemanha seguem os mesmos padrões de qualidade para agradar motociclistas exigentes, ainda que separadas por 9.000 km de distância.

Notícias relacionadas

Nova Yamaha MT-09 chega ao Brasil mais moderna por R$ 43.690

Cinco motivos para não atravessar uma enchente de moto

Cinco motos nakeds de 1.000cc

Honda CB 1000R: compare a nova e a antiga geração da naked japonesa

Mitos e verdades sobre pneus de moto

Nova Honda CB 1000R 2019 no Brasil

BMW F 850GS Adventure oferece mais autonomia e conforto

Rodovia que liga o Acre ao Peru desmorona e deve ficar fechada

Entenda o significado das siglas para motos da BMW

Andar de moto aumenta concentração e diminui estresse, revela estudo

Mototour - Seu portal em duas rodas, Motos, Encontros de Motociclistas, Moto Clube e muito mais...

Todos os Direitos Reservados

Tempo de carregamento da página: 0.11223 segundos